sexta-feira, 8 de maio de 2015

Obesidade


Era compulsivo...
Seus lábios balbuciavam
Ao se perderem em delícias
Não havia gosto ruim
Não é e não há de ser ruim
Porque não há gosto ruim

Pois o paladar é essa fera domada
Essa cadela no cio
Em sua via única,
a da entrada
Mas, opa! O que entrou saiu?
E foi assim que pariu



Mas é de fome que falo!
De fome? Gordo só fala em comida...
Mas não é dessa fome!
Tô falando da fome ressaca
Ressaca e dor
Da fome chamada amor

Daquela fome que se tem no cio
Compulsiva fome que fez entrar
E jamais saiu
Porque não há de sair
E por isso jamais pariu

E de tanto amar,
explodiu!


#pretoegordo

2 comentários:

amandavillap disse...

O preferido!
Multitalentos inspiracionista das miga.

Paula Bolonha disse...

O preferido 2!